domingo, 29 de maio de 2011

Porque isso parece comigo...

 "Eu me preocupo com os amigos que continuam idolatrando Bukowski depois dos 30."

sábado, 21 de maio de 2011

"Não me esqueço das riquezas do passado."

video

'Mas é saudável te dar outra opção.'


Quero aproveitar esse espaço que tenho no blog pra divulgar esse vídeo, um projeto que é realizado anualmente pelo Colégio Nossa Senhora das Graças, o Curta-Língua.
Nós estamos ainda aguardando o resultado e eu, particularmente, estou bem confiante, porque o trabalho tá muito bem feito, a edição tá incrível e muiito criativo (agradecimentos ao Gabriel Lima que teve toda essa paciência).

Enfim, assitam, comentem, tá perfeito, e a música "Aos Meus Heróis" de Julinho Marassi e Gutemberg é linda; quem gostar de MPB vai adorar !

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Harmonia

[Achar um sentido plausível numa lógica compreendida apenas pelo autor afasta, talvez, a possibilidade de que esta realmente ocorra na vida. Seria menos preocupante que se deixasse levar. Analisar é tolice quando feito em hora errada, todavia números são viciantes.]

Que cante o Sol bem Lá
Alumiando a doutrina de Platão em Si;
Esse canto que ri,
Que está em Mi(m)
Ele, e ponto final.
Que a lua somente desaprove

O instrumento desafinado
(Que não comprometa a harmonia)
O canto: que encante,
Que seja leve

E eleve a alma.

Com o coração afinado em Dó:
Eles se amando e eu amando só.

sábado, 7 de maio de 2011

Um bilhete com letras de garranchos.

Peço que na minha ausência.
Abra o guarda-chuva em dias chuvosos.
Não fique só quando estiver doente.
Não escute música pop e fique alegre com isso.
Que não seja preciso pentear os cabelos.
Acabe o café da garrafa térmica, várias vezes.
Leia aquele livro da Lispector repetidamente.
Coma ameixas vendo Los Abrazos Rotos.
Não ache que toda paixão é amor.
Fique com os olhos molhados no escuro.
Se embriague pouco com ópio e cigarros.
Tire dias para ficar só.
Ao me procurar, não diga ‘oi?’.
Também não diga, eu te amo praquela nas madrugadas.
Sinta saudades dos meus lábios avermelhados.
Veja aquela foto em preto e branco, que meus olhos te dizem algo.
Escute Werewolf antes de dormir.

Acordei um dia.
Cansada.
Você estava do outro lado da cama.
Contemplei teu rosto adormecido.
Deparei que já não me via em teus olhos.
Não pense que fui por aquela paixão cheia de efemeridades.
Fui porque quis. Porque era preciso.
Não te suporto assim.
Que saiba disso. Que saiba.

Escrevi esse bilhete, mas não foi eu que me afastei.
Resolvi sair por aquela porta que tantas vezes chegamos aos tropeços, tontos de risadas altas que incomodavam os vizinhos.
Diferentemente daquela música, o bilhete não é azul e tão pouco fui pra Bahia.
Não mudei de estado.
Esbarrar-nos-emos na Lapa ou em Botafogo, tanto faz.
Silenciar-me-ei para apenas não dizer:
Saudades.

domingo, 1 de maio de 2011

Ava Luna e minha imaginação com pessoas dançando.

"O menino teve coragem, olhou pra menina e pediu pra dançar, uma música misturada de jazz, eletro-funk, um rock indiezinho. Dançar, sem timidez daquelas pessoas que estão a beber seus vinhos e chacoalhando seus ombros, sentadas."

É essa imagem brega que tenho quando escuto Ava Luna, uma banda de 7 pessoas com 4 vocais. Cantando um soul-music. seja lá o que for.
Com lembranças de Paolo Nutini à Black Keys.
Indicação de um amigo chamado Marcelo ele me mostrou ontem (sábado, 30 de abril de 2011) esse video:
 
 Depois me veio esse video:
E eu já estou aqui indicando o som dessa banda.
Porque vale ter essas viagens de pessoas dançando sem timidez.